Livro ‘Urucumacuã’, de H. H. Entringer Pereira, aborda antiga lenda de Rondônia - The Book
Heloiza Entringer na noite de autógrafos de sua primeira obra  'Urucumacuã'

Heloiza Entringer na noite de autógrafos de sua primeira obra  'Urucumacuã'

Livro ‘Urucumacuã’, de H. H. Entringer Pereira, aborda antiga lenda de Rondônia

A lenda que circula o mundo é de que o personagem é um príncipe que morou nesta região há alguns milhares de anos

A escritora Heloiza Helena Entringer Pereira, 62 anos, celebrou na noite de sábado, 14/7, o lançamento de sua primeira obra, o livro ‘Urucumacuã’ que traz como título uma lenda antiga da região de Vilhena-RO. A sessão de autógrafos reuniu leitores e amigos no Espaço Cultural Marechal Rondon, do Centro de Treinamento e Cultural (CTC) Sicoob Credisul, fazendo parte da programação da segunda edição do Sicoob Sabor – Festival Gastronômico e Cultural de Vilhena.


H. H. Entringer Pereira foi chamada para integrar a Academia Vilhenense de Letras (AVL) em 2013, já com algumas páginas de ‘Urucumacuã’ escritas. Com a obra inaugural finalizada, a escritora teve sucesso nas vendas do livro já na cerimônia de lançamento, onde foram vendidos 45 exemplares dos 50 disponibilizados no local. Confira um bate-papo com a escritora:

O título ‘Urucumacuã’ chama muito a atenção, o que significa, como e porque decidiu escrever sobre este tema?

Urucumacuã numa língua indígena ancestral significa “pássaro de fogo”. Existe uma lenda que circula o mundo de que esse personagem é um príncipe que morou nesta região há alguns milhares de anos, deixando um colossal tesouro. Mas não há registros que certifiquem a real existência dele.  Um dia, Braz Divino, um artista e escritor vilhenense, meu amigo, pediu-me que escrevesse algo a respeito de Urucumacuã, dando vida ao personagem... eu aceitei o desafio e assim comecei a escrever a minha própria interpretação biográfica da “Casa Real do Príncipe da Beira do Rio” e liguei no mesmo contexto os mitos e lendas amazônicas mais conhecidas, numa interpretação particular e única de suas origens.

Usou alguma referência para escrever o livro?

Não. A obra é genuinamente autoral, sem influência ou referência a quaisquer outras que descrevem semelhante temática.

Logo no lançamento do livro foram vendidos quase todos os exemplares disponíveis, você achou que isso iria acontecer?

Eu tinha uma expectativa em função das pessoas que me conhecem e sabiam que estava escrevendo nesta linha. Havia por parte dos meus amigos mais próximos, uma expectativa também para ver o trabalho concluído.

Agora com a primeira obra pronta, já existe algum outro livro em andamento?

Em andamento ainda não, mas no meu imaginário, sim. Tenho uma personagem muito forte, uma tia avó de Urucumacuã, chamada Rainha Alzira, cuja história está ligada na lenda da Mula sem cabeça, a quem eu devo a inspiração mais intrigante da saga. Pretendo no próximo livro, contar as histórias da Rainha Alzira com exclusividade. Quem sabe, o livro venha se chamar “Rainha Alzira manda lembranças” (risos) Quem sabe?

Você quer deixar algum recado para seus leitores e amigos que estiveram no lançamento?

Eu penso que a realização de todo autor é entregar a obra aos leitores. Se os leitores gostarem e derem feedback, aí a realização é total. Ainda que façam críticas, tudo é muito proveitoso! Sou aberta à críticas, desde que elas apontem a melhor direção! Ficarei muito feliz se meus leitores mantiverem esse contato comigo, até porque isso vem me auxiliar a caprichar ainda mais no próximo livro (risos)! Quero ser grata a todos os amigos que me prestigiaram e na pessoa de Adevania Silveira ampliar minha gratidão à direção do Sicoob Credisul em Vilhena. Grata pela oportunidade que está me concedendo de divulgar meu trabalho e também contar as minhas histórias.


A primeira remessa de livros se esgotou na mesma noite


Heloiza recebe convidados para a noite de autógrafos


A escritora com o ex-secretário de Turismo do Estado, Júlio Olivar










Seja o primeiro a comentar

* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado