Detalhe da foto que integra exposição, com poema de Silvio Sous | Imagens: Luciano Magalhães Diniz

Detalhe da foto que integra exposição, com poema de Silvio Sous | Imagens: Luciano Magalhães Diniz

Em nome dos garis

Assessor e jardineiro da Comurg assinam exposição fotográfica que homenageia o trabalho dos colegas

      A exposição fotográfica itinerante Goiânia em Preto e Branco, aberta em 29 de janeiro deste ano, na Vila Cultural Cora Coralina, é resultado do trabalho conjunto do poeta Silvio Sous e do fotógrafo Luciano Magalhães Diniz, no livro Resíduos de Goiânia em Preto e Branco, lançado na ocasião, completando um ciclo iniciado com o documentário Resíduos de uma Cidade, filmado em 2014.

O goiano Silvio Sous é poeta, músico, jornalista, formado em Letras e, segundo ele, “ignorante por conta própria e ladrão de ideias”. Atualmente, trabalha como jornalista na assessoria de comunicação da Comurg, onde começou como gari, e, paralelamente, se envolve em projetos ambientais, culturais e musicais.




O poeta Silvio Sous e o fotógrafo Luciano Magalhães Diniz: homenagem a garis

Um exemplo desse ativismo é o documentário Resíduos de uma Cidade, premiado no FAVERA – Festival de Audiovisual Vera Cruz 2015 -, como o melhor documentário goiano.  Realizado pelo Instituto Federal de Goiás, sob a supervisão de Sandro de Lima, idealizador do projeto, o documentário foi uma homenagem aos trabalhadores da limpeza urbana, mesclando ficção e realidade. Além do roteiro original, Silvio fez a trilha sonora e compôs os poemas que aparecem no documentário. O amigo e parceiro Luciano Magalhães Diniz, fotógrafo e jardineiro na Comurg, participou da direção de filmagem e da direção de fotografia.

Portador da Síndrome Pós-Pólio (SPP), doença rara e degenerativa, resultante da poliomielite que o acometeu aos oito meses, Silvio participou do Congresso Internacional de Sobreviventes da Pólio, em Puerto Vallarta, México, no ano passado. Para o evento, compôs a canção Sobrevivente Sou, que foi traduzida para o espanhol e será tema do próximo encontro de vítimas da Síndrome Pós-Pólio, que acontecerá na Argentina. Na ocasião, cantará sua música ao lado dos cantores argentinos Bruno Caruzo e Lisando Paz.

Aos 39 anos, casado, pai de dois filhos, Silvio vê na arte uma oportunidade de divulgar a síndrome, para que os poliamigos alcancem maior visibilidade e, consequentemente, tenham acesso a novas formas de tratamento, pois a Síndrome Pós-Pólio, reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apenas em 2010, ainda é pouco conhecida pela maioria dos profissionais da saúde.

SERVIÇO
Resíduos de Goiânia em Preto e Branco
Local: Vila Cultural Cora Coralina
Endereço: Rua 3, s/n, Setor Central
Visitação: Até 20 de fevereiro
Horários: Terça a domingo, das 9h às 17h
Entrada franca
Venda do livro: (62) 98579 6148.
Informações: (62) 3201 2863           

3 comentários

Márcia Reges

O livro está lindo, tanto nas imagens quanto nos textos. A sincronia entre as duas artes é de encher a alma!

silvio sous

Uma grande abraço a todos da THE BOOK. Revista ótima. Obrigado pela divulgação da nossa arte.

Glorinha

O livro ficou maravilhoso, muita sintonia dos dois artistas. Valeu meninos. Na espera do segundo trabalho de vocês.
* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado