Rimene Amaral

Caçarolices

Rimene Amaral é jornalista, fotógrafo e glutão. Quando não está se dedicando a alguma destas tarefas, gasta o tempo com inventices na cozinha
Prato para comer sem culpa: espaguete de abobrinha | Imagens: Divulgação

Prato para comer sem culpa: espaguete de abobrinha | Imagens: Divulgação

Pode comer à vontade

Já falei que não falta abobrinha na minha geladeira, né? Ela é versátil e saborosa. Faz-se até espaguete. Acredita? E, olha... engana e acalma bem um estômago guloso. Primeiro precisa ter aquela traquitanazinha que rala a abobrinha e a transforma em fios, o espaguete, por assim dizer. Eles vão para uma panela com água fervente e 1 cubo de caldo de galinha dissolvido por 3 minutos. Escorra e regue com azeite. Neste momento, o molho já deve estar pronto. O de sua preferência. Eu escolhi bolonhesa com sálvia puxada na manteiga. Ficou dos deuses. O malbec acompanhou bem. Nosso momento abobrinha, continua. Ainda tem mais duas receitas. Anote.

O VILÃO TIROU A MÁSCARA
De vilão a mocinho, o ovo passou a ser habitué (tenho usado muito esta palavra. Vai desculpando aí...) nas geladeiras de quem não é marombeiro. É outro versátil e que, se souber trabalhar bem, é também sofisticadíssimo. O que não dizer dos “Doce d’ovos” portugueses? Só quem já enfiou um inteiro na boca sabe a heresia que é. Mas o caso aqui não é o doce e, sim, o ovo. Rapazinho camaleão... O ovo transita entre a comida doce e salgada com total desenvoltura. E a receita da vez é omelete. Com milhões de variáveis e releituras mundo afora, saber fazer e dar o ponto certo a uma omelete é questão de honra para muitos chefs franceses. Sem a necessidade desta destreza toda por estas bandas aqui, a omelete é, novamente, a bola da vez. Primeiro rale 1 abobrinha (sim, abobrinha, a versátil!) e disponha as fatias numa frigideira antiaderente com nada. Grelhe dos dois lados e acrescente um fio de azeite. Reserve. Bata 2 ovos com 3 colheres de água filtrada, 1 pitada de alho em flocos, 1 pitada de cebola em flocos, sal, pimenta calabresa e 1 pitada de parmesão ralado. Despeje a mistura na frigideira antiaderente, quando estiver firme, mas não seco, disponha as fatias grelhadas de abobrinha, queijo parmesão ralado. Ergue-ei as mãos e dais glória a Deus...


REAPROVEITAMENTO GOURMET
Lembra do desperdício? Na na ni na não! A abobrinha da receita aí de cima sobrou. Oh, não comeram tudo e sobrou. O que vira? Sanduíche íche íche. E não tem explicação pro tanto que isso ficou bom. Primeiro faça uma mistura de requeijão cremoso e raspa de limão siciliano e passe no pão de forma. Disponha as abobrinhas sobre o requeijão, coloque rodelas finíssimas de cebola roxa.  Momento propício para uma fatia de queijo – há quem goste de uma proteína mais hard – e agrião baby. Cubra com outro pão com a mesma mistura. Eu comi com mostarda escura. Ficou bem interessante o sabor.


MELHOR QUE PÃO COM MANTEIGA
Tirei um domingo para extrapolar, como dizia meu pai! Há dias em que precisamos caprichar, não é mesmo? Em casa estava. Em casa fiquei. Fiz aquele garimpo na geladeira e achei uma linguiça de carneiro. Pensei quantas vezes, antes de fazer o arroz com ela, ervas e amêndoas? E não ficou bom. Bom é pão com manteiga. Ficou excelente! Primeiro assei a linguiça em forno médio até dourar e cortei em rodelas. Numa panela dourei o alho, 2 colheres de cebola de cabeça picadas e 1 colher de alecrim fresco picado. Acrescentei a linguiça e 2 colheres de sálvia picada. Sal e pimenta calabresa a gosto. Antes de colocar a água para cozinhar o arroz, misturei 1 colher de hortelã fresca picada. Depois de cozido, misturei amêndoas laminadas e torradas. Aí você pergunta: “Mas Rimene, precisa mesmo das três ervas?”. Se você quiser que fique como estou dizendo, sim!, Precisa. Tem gente que tem essa mania, né? “Eu troquei o alecrim por noz-moscada, a sálvia pelo coentro e a hortelã por capim santo”. Oi? Quem foi que disse que capim santo vai dessa forma no tempero? Inventou outra coisa.

FRASE NOSSA DE CADA DIA
O primeiro quesito para escrever bem sobre comida é ter um bom apetite – Abbott Joseph Liebling, jornalista estadunidense.


DICA PARA A VIDA
Ó, só para esclarecer, mousse não é feita com gelatina. Gelatina não é ingrediente original da mousse. A consistência de uma mousse de verdade é dada pelas claras em neve. “Rimene, com gelatina fica gostoso?”. Sim. Fica! Mas não é mousse. Mousse não tem gelatina.


SANDUÍCHE GELADO DE PÃO DE FORMA
Têm umas histórias na minha vida que dariam livro. Muitas delas se dão a partir do quotidiano, mesmo. Da vida, no dia-dia. Assim como essas histórias, são as receitas. Coisas que a gente experimenta e depois as transforma. Depois a gente come a coisa original e volta a ter a mesma sensação. Acontece comigo com um sanduíche de pão de forma, recheado com legumes cozidos e patê de atum. Em camadas: pão de forma sem as bordas, patê de atum (atum, maionese, salsa picada, cebola ralada e gostas de limão), alface, beterraba cozida em rodelas, pão, patê, alface, cenoura cozida e cortada na longitudinal, pão de novo, patê, tomate em rodelas e alface. Encera com outra camada de pão e patê dos dois lados. Leve à geladeira antes de servir. Regue com azeite e seja feliz.

PS.: Sem o Dr. Dráuzio Varela saber, use o pano úmido (limpo, tá? Pelamordedeus!) para cobrir a refratária e lavá-la à geladeira por 5 horas antes de servir.


MARINADA
Smurf – Cogumelos assados são excelente para substituir a carne e o sabor é fenomenal. Cogumelos portobelo recheados com cream chesse e uma rodela de tomate por cima. Azeite e forno e pronto.

Purê de inhame – Inhame cozido e amassado vai para a panela com manteiga de leite, leite de coco, salsinha picada, sal a gosto. Pode ser servido com molho bolonhesa. É muito bom!

A base – Biscoito maisena triturado e manteiga formam uma base para qualquer sabor de mousse para virar uma torta rápida, fácil e deliciosa. 

Seja o primeiro a comentar

* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado