Rimene Amaral

Caçarolices

Rimene Amaral é jornalista, fotógrafo e glutão. Quando não está se dedicando a alguma destas tarefas, gasta o tempo com inventices na cozinha
Ovo frito na água, isso existe! | Fotos: Rimene Amaral + Divulgação

Ovo frito na água, isso existe! | Fotos: Rimene Amaral + Divulgação

De volta com a Primavera

Depois de um longo, tenebroso e doloroso inverno, cá estou de volta. E com a Primavera. Agora sem dores, já meu apêndice foi extirpado com maestria pelo Dr. Vinícius Amaral (olha aí a família fazendo parte!). Nesse período de convalescença também fui privado daquilo que – para mim e para muitos – é um dos maiores prazeres: comer! O vinho também me foi proibido. A boa notícia é que emagreci quatro quilos e não posso frequentar academia por um bom tempo. Enquanto isso, me enveredo na cozinha para recuperar os quilos perdidos. Então, aperte o avental, acenda seu fogo e coloque as caçarolas para trabalhar, porque Caçarolices estão de volta.


FRITOS NA ÁGUA
Ah, a internet, essa boca de Matilde! Tudo sabe. Tudo tem! E não é de ver que foi numa dessas zapeadas por aí que acabei descobrindo como fazer ovo “frito” em água? Observe o frito entre aspas, já que fritar mesmo, só com óleo ou manteiga. Mas o fato é que o ovo fica bom. É claro! – e ninguém é tão sem paladar ao ponto de pensar o contrário –, tem nada a ver com ovo frito, tá? É só mais uma maneira de comer ovo sem ser frito. Entendeu? Coloque uma xícara de água na frigideira e deixe começar a ferver. Quebre o ovo e tempere a gosto. Fica parecido com ovos poché.


FRASE NOSSA DE CADA DIA
O convidado é melhor juiz de uma refeição que o cozinheiro, Aristóteles, filósofo grego


RELANCE DE UM DOMINGO DE OLÍMPIADAS
A história está ultrapassada, já que as Olimpíadas agora só no Japão. Mas vale o relato. Era um Domingo em casa e as Olimpíadas ainda estavam bondando em todos os canais. Claro, o almoço ficaria comprometido, já que era uma competição atrás da outra e ninguém queria perder nenhum lance, sequer. Entre uma cortada e outra, uma braçada e outra, um recorde e outro eu corria na geladeira e fazia um apanhado do que existia naquela dimensão à parte, chamada geladeira. O sacrifício seria preparar o acompanhamento de um arroz com linguiça - é mais prático e você não precisa ficar velando a comida no fogão. Mas aquele arroz moreninho com linguiça caipira de Nova Veneza precisa de algo colorido para acompanhar. E, no intervalo do primeiro para o segundo set do vôlei, daria tempo de picar o tomatinho sweet grape, a cebola roxa, o pimentão amarelo e a salsinha. Tudo pequenininho. Raspas e suco de um limão siciliano, sal, pimenta e azeite à vontade. Reservei na geladeira até o próximo intervalo. Arroz pronto e citronete encorpada, hora de servir. Acrescente uma colher de creme de leite à citronete. O vinho vai depender do que temos na adega, já que dia de competição olímpica não é dia de sair de casa. Eu juro que passei meia tarde procurando a foto, mas não sei onde foi parar. Quando encontrar, publico aqui.


REDONDINHO
Não seria petulância minha se algum de vocês tivessem experimentado O Melhor Hambúrguer Que Já Comi Na Minha Vida: o que eu fiz, dia desses. Passei a fase rústica, pelo menos com os hambúrgueres. Depois daquele só com sal e pimenta, esse veio recheado. Até gergelim coloquei. E posso te falar? O Melhor Hambúrguer Que Já Comi Na Minha Vida! Meu amigo Júnior Durski, feliz proprietário do Madero, que me perdoe, mas acho que desbanquei o seu “Melhor hambúrguer do mundo”. 200 gramas de patinho, 200 gramas de acém, 50 gramas de bacon. Moa tudo junto e misture bem. Acrescente: alho, sal e pimenta a vontade e 5 colheres de aveia em flocos. Amasse bem, faça os hambúrgueres e leve ao forno regado com azeite e gergelim. Há quem goste de rechear com muçarela antes de assar.

Ah! PS.: O pão, alí, ó, atrás, é só figurativo, tá? Achei que ornava bem com a carne.
Ah! PS.: II: Tem alface atrás. Reparem...


DUOS
A simplicidade é mesmo a mãe da perfeição, né? Com vocês, os melhores duetos da gastronomia.

# Pão com salame
# Queijo brie com geleia (sugiro a de laranja)
# Arroz com feijão
# Cerveja com limão
# Pão com ovo
# Pão de queijo com café
# Abacaxi com hortelã
# Bife com batata frita
# Figo com doce de leite
E o que mais, hein? Mande sugestões para mim...

COMBINAÇÕES IMPROVÁVEIS
Quem disse que arroz combina com feijão? Quem disse que pão de queijo é a cara-metade do café? Quem foi que estabeleceu essas regras? Pois bem, todos os dias vou até a sacada e vejo o quanto a rúcula está crescendo bonita. E sempre penso em inventar algo diferente com ela. Pois bem, uma receita saiu: a omelete de abobrinha com rúcula, que ensino “abajo”.

Primeiro fatie a abobrinha como chips, no sentido longitudinal. Apenas uma. Disponha as fatias numa frigideira antiaderente e leve ao fogo alto. Quando começar a sair fumaça, coloque um fio de azeite sobre cada uma. Não coloque sal. Ele desidrata a abobrinha a faz soltar água. Reserve. Bata 2 ovos com 2 colheres de sopa de água, sal, alho e cebola em flocos – pitadinha. À frigideira. Regue-a com azeite e acenda a chama. Despeje a mistura de ovo batida por toda a superfície. Disponha a abobrinha na metade inferior do ovo, acrescente duas fatias de queijo coalho e 2 folhas de rúcula. Feche a omelete e sirva ainda quente e com mais folhas frescas de rúcula.


RAPIDINHO
Fim de ano é tempo de frutas deliciosas. Uma delas, dando sopa nas gôndolas de supermercado, é o pêssego. Para ser rápido: corte-os ao meio e coloque numa refratária. Esprema meio limão siciliano e coloque uma colher de açúcar para cada pêssego. Misture e leve ao forno. Quando murcharem, retire do forno, regue com ½ copo de conhaque e volte ao forno até que o álcool evapore (ou não, né?). Sobremesa simples e deliciosa que pode ser servida pura ou com sorvete.



MARINADA
Café – O pretinho básico da manhã ficará mais saboroso se você substituir o açúcar – para quem gosta de adoçar, é claro! – pôr uma colherinha de mel.

Sanduíche – Existe uma infinidade deles. Esta semana aprendi uma delas: pão com manteiga na chapa e recheado com couve refogada na manteiga. Parece estranho? É! Mas também é muito bom.

Jabuticaba – Época da fruta (foto) a gente inventa o que pode: 1 copo de jabuticaba, 1 copo de vinho e duas colheres de açúcar. Deixe ferver em fogo baixo até reduzir. Pode servir como geleia ou molho para carne. Não vai se arrepender.


PETISCOS PARA A PRÓXIMA EDIÇÃO
A próxima Caçarolices vai exaurir agora a couve-flor. O que é? De onde vem? Para que serve? No que ela se transforma? Hoje, no Globo Rep... não, péra! Você vai conhecer três sabores diferentes em que a couve-flor pode ser transformada. E, é óbvio!, mais abobrinha, mais berinjela...

Seja o primeiro a comentar

* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado