Rimene Amaral

Caçarolices

Rimene Amaral é jornalista, fotógrafo e glutão. Quando não está se dedicando a alguma destas tarefas, gasta o tempo com inventices na cozinha
Esta massa é tida como um dos gostos mais tradicionais da Itália | Imagens: Divulgação + Rimene Amaral

Esta massa é tida como um dos gostos mais tradicionais da Itália | Imagens: Divulgação + Rimene Amaral

Exclusivamente romano

Aproximadamente cem passos separam a Fontana di Trevi com a cantina Vineria II Chianti, em Roma. É nesse estabelecimento familiar onde se serve um dos pratos mais simples e saborosos de que se tem notícia na capital italiana. O prato é tido como um dos gostos mais tradicionais da Itália. A massa é feita pela família e essa é a única diferença, basicamente. Mas como bom glutão e curioso, fui sapear. E veja o quanto é fácil preparar:

Primeiro, doure a abobrinha picada em palitos numa frigideira quente, sem nada. Nem sal! Quando dourarem, coloque azeite e deixe fritar por uns 3 minutos. Acrescente alho e cebola desidratados, pimenta calabresa, tomate sweet grape picados em 4 e 2 colheres de amêndoas laminadas. Refogue. Acrescente uma pitada de canela e 1 colher de raspa de limão. Reserve. Faça um molho com 1 sachê de molho de tomate com ervas e 1 caixinha de creme de leite. Pique em cubos minúsculos 100g de muçarela. Cozinhe a massa (penne) de acordo com as instruções e tempo da embalagem. Escorra, regue com azeite e misture tudo, deixando o molho por último. Parmesão ralado por cima e 10 minutos de forno para gratinar. Um chianti rosé para acompanhar e nada melhor, se você não puder estar em Roma. Salute!

FRASE NOSSA DE CADA DIA
A vida é curta. Coma a sobremesa primeiro – Não sei quem escreveu, mas não leve isso a ferro e fogo. O prato principal pode surpreender.



BABA, BABY!
# Suco de melão com hortelã e licor de cassis no fundo do copo
# Ameixinha de queijo cristalizada
# Aspargos assados com presunto de parma
# Risoto de arroz negro com manteiga trufada
# Naked cake de frutas vermelhas com creme de mascarpone (foto)
# Pavê de abacaxi da minha mãe


VERDE SABOROSO
Aquele dia em que você acorda, tem um mundo de coisas a fazer. Nem por isso a gente deixa de querer algo diferente, gostoso, prático e rápido. E quando esse “algo diferente” vem com um plus? É saudável. Pronto. A felicidade é garantida. E foi assim com o bolinho de brócolis assado. Primeiro, ferva a água com sal e coloque 350g de brócolis (os buquês) e deixe por dois minutos. Escorra e corte-os em pedaços pequenos. Bata com uma faca pesada. Junte 3 dentes de alho picados, 1 xícara de cheiro verde picado, 2 colheres de amêndoas laminadas esmigalhadas, 1 colher de cebola picada em cubos minúsculos, 2 ovos batidos, 4 colheres de queijo ralado, 3 colheres de farinha de rosca, 1 colher de aveia em flocos, sal e pimenta a gosto (usei calabresa e caldo de malagueta em conserva), 1 colher de raspas de limão (ou gengibre), 5 colheres de azeite. Neste, em particular, eu coloquei raspas de limão que podem ser substituídas, de acordo com o seu paladar, por 1 colher de gengibre ralado. Porém, os dois juntos brigam. Molde em formato cilíndrico de cerca de 5 centímetros ou asse em formas de cupcake (20 minutos em forno médio: 200 graus).


VARIAÇÕES
A receita acima, do bolinho de brócolis, rendeu mais coisas boas. O bolinho em si é só o começo. O que foi possível mexer e variar:
# Couve-flor – É tranquilamente possível substituir apenas os brócolis por couve-flor. O resto segue da mesma forma.
# Bacalhau desfiado – Apenas acrescente uma xícara de bacalhau desfiado e dessalgado. Fica di-vi-no!
# Frango – Na mesma quantidade que o bacalhau, também fica delicioso.
# Castanhas e sementes – A mesma receita, com acréscimo de castanhas e sementes (podem ser torradas ou cruas). Caso fique seco demais, acrescente, aos poucos, farinha de aveia.

QUIABO, SIMPLESMENTE
O quiabo é, para mim, um dos vegetais mais incompreendidos da natureza terrestre. Por suas peculiaridades tidas como “estranhas” – a baba e a semente redonda com textura de cartilagem animal – vegetal não deixa transparecer o que ele realmente o é para quem sabe prepará-lo. Eu sei! Quiabinho suado, como diria minha avó e minha mãe ainda diz. Suado porque não se usa água em sua cocção. Ele cozinha por si na própria água, num fogo baixinho, transpirando gradativamente, não deixando-o soltar a baba. Tudo com muita paciência. Essa maravilha da natureza africana – já admitida como brasileira – tem, além de todo um sabor peculiar – servido por quem sabe, de fato, prepará-lo – uma enxurrada de benefícios ao organismo humano. Vamos experimentar?

Peguei um punhado de quiabo, lavei, cortei as pontas até a parte macia. Depois cortei-os em cruz na longitudinal e em três, no comprimento. Esquentei o azeite, dourei 1 colher de cebola e 3 dentes de alho picados. Joguei o quiabo, 1 pitada de pimenta calabresa e sal. E, de tempos em tempo, uma revirada. Quando estavam macios, porém crocantes, reguei com mais um fio de azeite. Você não vai acreditar no resultado e passará a reconhecer o quiabo como majestade.


SALTEADAS
Com pressa? Coloque uma frigideira em fogo médio, derreta manteiga o suficiente apenas para untar o fundo e, quando a frigideira estiver bem quente, coloque a fruta picada (maçã, pera, pêssego, abacaxi, banana, figo, ameixa...) e açúcar, misturando até que ela cozinhe. Nesta preparação, bananas combinam muito bem com açúcar mascavo e nozes, enquanto maçãs ficam bem com um toque de canela e noz-moscada.


...AINDA SOBRE LACTOBACILOS
Têm dias que escrevo coisas que me deixam com personalidade de um insano. Mas é necessário para mostrar o quão bom é uma coisinha e outra que a gente inventa. Como é o caso do creme que acabei de fazer e vim aqui escrever como foi essa experiência fantástica de um novo sabor. No liquidificador: 200 ml de coalhada (receita aqui), uma banana nanica madura, 1 pedaço de goiabada (cerca de 30 gramas), 2 colheres de açúcar mascavo, 5 gotas de essência de baunilha e uma pitada de flor de sal. E a receita é só uma receita. A quantidade de qualquer ingrediente só vai fazê-la ficar diferente. Mas sempre deliciosa. Exagerei? Vai lá. Experimenta e me fala. Mas fala mesmo!


PRETINHO PURO
No último dia 24 foi comemorado o Dia do Café, aquele que nos acorda, nos chama para um papo, é a oferta de qualquer boa visita... Mas o café tem muitos benefícios que não vou enumerar aqui agora. O que me faz lembrar do café são os sabores que podem ornar com ele. Na hora de coar o seu cafezinho de cada dia, experimente colocar:
# Canela – ½ colherianha de café junto ao pó no coador.
# Baunilha – 5 gotinhas na quantidade de pó que for coar.
# Cacau em pó – Sem açúcar! Faz o café ficar com gosto de viagem. Tenho esta impressão, não sei porquê.
# Conhaque – Tá com frio? Nada melhor que ½ dose do destilado numa caneca de café.


SOBRE FRITURAS: BITTERBALLEN
Na Holanda, estes bolinhos recheados com carne são companhia indispensável das bebidas durante um happy hour. Eles fazem parte do bittergarnituur, uma seleção de aperitivos para acompanhar os chopes - mais ou menos como os conhecidos tira-gostos dos botecos brasileiros. É quase um croquete, mas os temperos usados dão um sabor inigualável.


MARINADA
Pepinos – Experimente substituir a torradinha de pão por rodelas de pepino como base para um canapé de frango.

Iogurte – Mamão papaia, coalhada, adoçante (uso stévia 100%) e gotinhas de limão. Tudo no liquidificador.

Viva – A alface durará mais tempo na geladeira se você lavar as folhas, enxugá-las e guardar num recipiente fechado e forrado com papel toalha.

Pão – Quem gosta de colocar, literalmente, a mão na massa de pão pode fazê-la com fermento biológico natural. A internet está cheia de receitas.

Aproveitamento – A casca do abacaxi também serve para sucos e chás. Mas lave-o bem, com escova e sem sabão.

1 comentário

Laurenice Noleto Alves

Que lindos e gostosos os seus textos e receitas, Rimene! Estou adorando. Obrigada!
* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado