Valéria Perillo entre a diretora geral da Organização, Eliana França (E), e a presidente da Coorperativa Bordana, Celma Oliveira (D) | Imagem: Cristina Cabral

Valéria Perillo entre a diretora geral da Organização, Eliana França (E), e a presidente da Coorperativa Bordana, Celma Oliveira (D) | Imagem: Cristina Cabral

Bordana lança coleção no Palácio das Esmeraldas

Peças de cama e mesa e acessórios bordadas a mão foram disputadas por convidadas que participaram do lançamento. O designer Renato Imbroisi também marcou presença

A presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Valéria Perillo, recebeu convidados para o lançamento da Coleção Arranjo Produtivo, Um Sonho Feito à Mão, da Cooperativa de Bordadeiras Bordana, hoje de manhã, no Salão Dona Gercina do Palácio das Esmeraldas. A vice-presidente de honra da instituição, Fabrina Müller, e a diretora geral da Organização, Eliana França, prestigiaram o evento.


Flores do Cerrado são o tema central da nova coleção da cooperativa Bordana | Imagem: The Book

A coleção, que tem como tema as flores do Cerrado, reúne 500 peças para copa, cozinha e sala bordadas à mão a partir de desenhos originais sobre tecidos de algodão, entre elas colchas, almofadas, cortinas, toalhas de mesa, panos de prato e itens de papelaria, como cadernos e cadernetas com bordados na capa.


Almofadas em formas de flores do Cerrado | Imagem: The Book

O trabalho das 27 bordadeiras associadas foi desenvolvido por meio do apoio do Sistema Organização das Cooperativas do Brasil do Estado de Goiás (OCB-GO), Serviço Nacional de Aprendizado do Cooperativismo em Goiás (SESCOOP-GO) e Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa de Goiás (SEBRAE-GO).


Almofadas de vários tamanhos com vasos de flores bordados | Imagem: The Book

As peças resultaram, também, de parceria entre o designer Renato Imbroisi - que veio especialmente a Goiânia para o evento-, e as cooperadas em oficinas realizadas a partir de março de 2014.


Jogo americano e porta guardanapo bordados a mão | Imagem: The Book

“É com alegria que recebemos no Palácio das Esmeraldas a exposição deste belo trabalho. Essas bordadeiras são guerreiras, talentosas e muitas vezes ficam no anonimato. São mulheres que conseguem transformar objetos necessários em peças de encantamento. O Governo de Goiás incentiva este tipo de iniciativa que representa oportunidade, geração de emprego e renda”, destacou Valéria Perillo, que emocionou-se ao relembrar a história de superação da presidente da cooperativa, Celma Grace de Oliveira.


Valéria Perillo durante evento de lançamento, fala aos convidados | Imagem: The Book

O grupo Bordana se aglutinou em torno de Celma, que idealizou e criou o Instituto Ana Carol (IAC), em homenagem à sua filha Ana Carolina Oliveira Campos, que morreu em dezembro de 2007, aos 10 anos, vítima de um tipo raro de leucemia. 


Celma Grace de Oliveira abre o evento no Palácio das Esmeraldas | Imagem: The Book

Celma agradeceu o apoio do Governo do Estado, que segundo ela, apostou no trabalho desenvolvido pelas bordadeiras desde o início, em 2008. “Idealizei este projeto em homenagem a minha filha Ana Carolina que morreu, em 2007, aos 10 anos de idade, vítima de leucemia. Ela sempre gostou de artesanato e sonhava em ser designer de moda. Foi uma maneira de manter viva a memória dela e, ao mesmo tempo, conseguir melhorar a autoestima das bordadeiras e gerar renda para elas”, pontua.

Cecília Ferreira, 75 anos, é a bordadeira mais antiga da Cooperativa. Ela garante que sua vida se transformou com o início da atividade. “No começo, não levava muito jeito. Mas, com persistência, fui aprendendo. A Bordana representa uma nova etapa para mim. Melhorei minha autoestima e sou muito feliz”, comemora.


Valéria Perillo e convidados no Salão Dona Gercina Borges Teixeira | Imagem: The Book

CERRADO
Desde sua criação, em 2008, a Bordana tem no Cerrado seu tema central. Para desenvolver a coleção, foram propostos exercícios pelo designer: o desenho de observação de flores no próprio Cerrado, a criação de arranjos florais pelas bordadeiras em vasos escolhidos por cada uma, depois desenhados e bordados por elas e a produção de peças maiores do que costumavam fazer antes, como as colchas coletivas, em que cada artesã borda um quadrado de tecido que depois é costurado, formando uma única peça.


No centro, empresária Maria Abadia Haich  e convidados | Imagem: The Book

São peças para copa, cozinha e casa, todas bordadas à mão a partir de desenhos originais sobre tecidos de algodão, entre elas colchas, almofadas, cortinas, toalhas de mesa, panos de prato e de fogão, jogos americanos com guardanapos e aventais. Há também itens de papelaria, como cadernos e cadernetas com bordados na capa.


Convidados prestigiam evento de lançamento | Imagem: The Book

O nome Arranjo Produtivo remete aos arranjos florais e também ao trabalho em equipe que traz produtividade, profissionalização e crescimento ao grupo de artesãos. Há quatro linhas diferentes dentro da coleção: vasos de flores, flor girafa (flores com cabos longos), cerradão (grandes desenhos de flores) e florada (flores soltas no tecido). Toda a produção foi comercializada durante o evento. "A renda será rateada entre as cooperadas, segundo a produção de cada uma delas", afirmou a presidente da cooperativa, Celma de Oliveira.



HISTÓRIA
A história da Cooperativa Bordana começou em 2008, com a reunião de moradoras do Conjunto Caiçara, bairro da região leste de Goiânia. Com idades em torno de 50 anos, apenas algumas sabiam bordar, mas jamais haviam se profissionalizado. Houve troca de conhecimentos, algumas fizeram cursos de capacitação, tornando-se multiplicadoras. Assim começou o trabalho da instituição.


Valéria Perillo e Celma Oliveira com as cooperadas da Bordana | Imagem: Cristina Cabral

 Entre os fatores que levaram Celma Oliveira a criar a cooperativa estão o de manter viva a memória da pequena Ana Carol, a oportunidade de capacitar e qualificar as bordadeiras, a necessidade de organizá-las por meio de um instrumento jurídico, buscando valorizar o seu trabalho e melhorar a autoestima e qualidade de vida.

Outra meta foi aprimorar e agregar valor aos produtos, garantindo preço justo, e a ampliação do mercado como fonte de geração de emprego e renda para a comunidade e região. 

Para se tornar membro da cooperativa basta visitar a entidade para conhecer seu funcionamento. “Não precisa ser bordadeira necessariamente. Se a pessoa quiser aprender a bordar, ministramos o curso, ela aprende em poucas aulas e passa a integrar o grupo. Se preferir, pode trabalhar em casa, conciliando a atividade com as tarefas domésticas”, explica. A Cooperativa Bordana fica na Rua Cabo Verde, nº 5, Conjunto Caiçara, próximo à BR-060.

1 comentário

José Batista

Trabalhos belos e vem mostrar a todos nós que somos capazes,desde que tenhamos boa vontade e perseverança.Parabens a todos do grupo e sucessos duradouros,com as Graças de Deus.
* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado