Marie Proffit, 40 anos:

Marie Proffit, 40 anos: "Sou forte, atleta e guerreira. Sei que dou conta" | Produção: Clau Oliveira | Imagens: Edgard Soares

Um troféu para Marie Proffit

The Book conta a história da empresária diagnosticada com câncer de mama que decidiu utilizar o Instagram para compartilhar a sua luta e inspirar outras mulheres vítimas da doença

Há dez meses, a empresária da moda e corredora amadora, Marie Proffit, 40, se desdobrava entre o comando da loja franqueada da Francesca Romana Diana, no Shopping Flamboyant, treinos intensos de corrida e os cuidados com os filhos pequenos Frédéric, 8, e Ludovic, 4.

Estava eufórica com a possibilidade de disputar, pela primeira vez, a Patagonian International Marathon, dali a três semanas. No auge da forma física, havia se inscrito também para a etapa brasiliense da Golden Four ASICS, considerada uma das melhores meia maratonas do Brasil, marcada para novembro.

Acostumada a subir no pódio, Marie se sentia preparada para disputar provas cada vez mais desafiadoras. Só não podia prever que a maior delas estava por vir e se daria fora das pistas. Depois de vencer uma corrida, ao enxugar o suor do corpo antes de subir no pódio, percebeu um nódulo na mama direita, próximo à axila. Preocupada, procurou um médico. Os exames preliminares de punção acusaram ser do tipo benigno.

Sete meses mais tarde, porém, depois de sentir fortes dores da região do nódulo, uma Marie impactada ouviu de seu médico de que teria de se ausentar das pistas por um período mais longo do que desejara. A nova biópsia registrara carcinoma de mama e seria necessário ser operada imediatamente.

Embora sob o efeito da difícil notícia, Marie afirma que o primeiro sentimento foi de alívio, por não ser um dos filhos a enfrentar a enfermidade. "Pensei, que bom que é comigo, e não com eles. Sou forte, atleta, guerreira. Sei que dou conta", relata Marie ao site The Book.  

O surpreendente é que, ao invés de se fechar, Marie decidiu compartilhar a sua história nas redes sociais. Acostumados a curtir postagens de acessórios exuberantes, os amigos virtuais da empresária passaram a acompanhar com interesse, cada vez maior, a maratona de Marie, dia a dia, na busca da cura.

Posts dos " looks da quimio", corte do cabelo, cabeça raspada, visitas ao oncologista, reuniões da família, grupo de orações,  enfrentamento da doença por parte dos filhos e do marido, passaram a alimentar sua timeline e, como consequência, transformaram a luta da empresária em uma espécie de desafio coletivo.

A resposta veio instantaneamente. Marie passou a receber de amigos e desconhecidos inúmeras mensagens de força e incentivo. A lista de seguidores cresceu em mais de 10% para a alegria da empresária. "Entendi que sou instrumento de Deus para um propósito maior", acredita. Nos posts, Marie aparece sempre sorridente e otimista, mas não deixa de relatar os dias maus, descrevendo os efeitos colaterais da quimioterapia, inspirando e confortando mulheres que também estão em tratamento de câncer. 

Ao assumir a doença e dividir a experiência da cura, Marie descobriu-se vivendo o momento "mais feliz" da sua vida. "É contraditório, mas é assim que me sinto: pelo que estou recebendo e pelas oportunidades que estou tendo", diz. Ela cita por exemplo, o reencontro com a mãe, que mora no interior de São Paulo e veio para visitá-la. "Está sendo um momento muito especial na nossa relação", afirma, convicta.

Pouco antes de receber o diagnóstico, Marie já pensava em fechar a loja de acessórios, uma de suas paixões. "As vendas não iam bem, mas eu não conseguia tomar uma decisão". Com o resultado médico, a empresária reuniu as amigas para promover um bazar e vender todo o estoque.

A dedicação à cura passou a ser o alvo principal, é claro. "Digo que vivo um dos momentos mais felizes porque as loucuras da minha rotina perderam significado. Aprendo a viver um dia após o outro e cada momento de uma forma melhor", diz Marie com o mesmo sorriso largo que exibe na maioria das imagens que posta. Até completar o tratamento, terá de passar por 18 ciclos de quimioterapia e 45 de radioterapia.

Casada há 10 anos com o empresário Josair Correia de Santana Júnior, a quem chama de Bil, Marie se considera uma pessoa de sorte por contar com o apoio de toda a família - pais, irmãos, marido e filhos. "Há muitas mulheres  vítimas do câncer de mama que não têm família, ou que não contam com o apoio dela, e outras que simplesmente são abandonadas por seus maridos após a confirmação da doença", lamenta Marie, que ao decidir raspar o cabelo, 20 dias antes de vê-los cair, o irmão Georges-Guillaume repetiu o gesto em solidariedade.

As amigas também cercam a empresária de carinho e atenção. Membro do Club Glam, grupo fundado pelas arquitetas Aline Santos e Geórgia Maia que tem como foco reuniões de network e business,  Marie comoveu-se ao ser convidada para um encontro com a finalidade exclusiva de orar por ela e de lhe confortar.

A consultora de estilo, Clau Oliveira, que produziu Marie para o ensaio do site The Book, é uma das amigas que acompanham de perto a evolução do tratamento, apoiando-a em todo momento. "É incrível como ela se mantém forte. É uma guepardo", costuma repetir Clau, referindo-se ao animal considerado a "Ferrari" do mundo selvagem por ser elegante, gracioso e extremamente rápido. 

Marie afirma que na primeira reunião de oração (que passou a ser realizada regularmente), na qual se emocionou muito, compreendeu e aceitou o seu novo papel. "Compreendi que Deus tem um propósito maior e procurei agir objetivamente. A ferramenta que tenho são as redes sociais. Através delas eu ajudo e sou ajudada", declara a empresária que preferiu não esconder ou disfarçar a cabeça livre dos fios loiros dos quais tinha o maior orgulho. "Minha autoestima nunca balançou", diz. Tanto é verdade que Marie se manteve muito a vontade no ensaio realizado pelo fotógrafo Edgard Soares.

Nascida na França, filha de pais franceses e criada na cidade goiana de Silvânia, a 85 quilômetros de Goiânia, Marie desenvolveu o espírito de aventura ainda na infância. Os pais deixaram a França para dar a volta ao mundo a bordo de um veleiro juntamente com as filhas, Marie e Sibylle, ainda muito pequenas. Finalizaram a viagem no Brasil, país que escolheram como nova moradia. O gosto por viagens de aventura é cultivado até hoje. Na companhia do marido e dos filhos já visitou a Patagônia, o deserto do Atacama, no Chile, e o Jalapão, no Tocantins.

A iniciação nas corridas nasceu justamente da necessidade de se preparar fisicamente para carregar o filho pequeno na mochila de costas na viagem ao Atacama. "Me preparei para suportar carregar 16 quilos", conta Marie. A partir desta experiência, se apaixonou pelo esporte, aderindo ao grupo de corrida Ilimitada, que prepara e leva alunos para competir em provas dentro e fora do Brasil.

Marie acredita que o perfil atlético e o espírito de competidora contribuem de forma significativa para a sua cura. "Logo após descobrir o nódulo, me inscrevi em uma corrida em prol da luta contra o câncer de mama", lembra a empresária, que pretende abraçar novos projetos que envolvam o tema. 

Guerreira, crê na vitória sobre a enfermidade  e espera inspirar outras mulheres que enfrentam o mesmo diagnóstico. Os convites para falar sobre a sua experiência começam a chegar e diz que em breve terá novidades. Enquanto isso, distribui sorrisos sinceros por onde passa, como nas imagens que escolhemos para ilustrar esta entrevista.


O câncer de mama no Brasil

Segundo a Estimativa sobre Incidência de Câncer no Brasil, 2014-2015, produzida pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o Brasil terá 576 mil novos casos de câncer por ano. Desses, 57.120 mil serão tumores de mama.

O câncer de mama é relativamente raro antes dos 35 anos, mas acima dessa idade sua incidência cresce rápida e progressivamente. É importante lembrar que nem todo tumor na mama é maligno e que ele pode ocorrer também em homens, mas em número muito menor. A maioria dos nódulos (ou caroços) detectados na mama é benigna, mas isso só pode ser confirmado por meio de exames médicos.

Quando diagnosticado e tratado ainda em fase inicial, isto é, quando o nódulo é menor que um centímetro, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%. Tumores desse tamanho são pequenos demais para serem detectados por palpação, mas são visíveis na mamografia. Por isso é fundamental que toda mulher faça uma mamografia por ano a partir dos 40 anos. Fonte: http://www.mulherconsciente.com.br/cancer-de-mama/sobre-o-cancer/

10 comentários

Corinne Briest

Domingo ensolarado em Zurique. Me levanto e me preparo para fazer meu tour de jogging matinal. Em mente e em alma levo a Marie comigo. Retorno 40 min mais tarde e me defronto com sua repirtagem. Seu sorriso, desde infancia, sempre sincero e presente se prolonga em todas as fotos, emocionantes e lindas. Marie: vc faz jus à todas as palavras escritas. Vc é td isso e tanto mais. Vc é minha eterna Amiga de infância e juventude. Vc esta sempre comigo!!! Eu acredito em vc a cada dia, todos is dias!!! Des bisous

Georges Proffit

Seu sorriso só conquista vitórias!!!! Maninha vou estar ao seu lado até o fim dessa guerra!!! AMOOO você!!!

Miriellen

Minha querida amiga! Sua força, sua garra, sua fé e sua alegria são inspiração para todos nós!

Adriana Guerra

Marie você é sensacional!!!!! Um espetáculo de boas energias!!!!! É uma grande inspiração para todas nós, especialmente, as mulheres. ❤️❤️❤️

Elisa Bonfim

Marie amiga linda, sua luz interior brilha cada vez mais forte iluminando todos ao seu redor! Muito orgulho de vc, de sua força e generosidade! Deus te abençoe sempre! 🙏🏻

Lara Costa

Marie sempre foi uma pessoa iluminada e amada por todos que a cercam. A doença tornou nossa heroína em um exemplo de força e de amor pela vida. #ForçaMarie #TeAmamos

neide

Marie, eu também estava com CA de mama porque já fui curada, ainda estou fazendo quimioterapia, falta 4 vezes, mas tenho certeza que deus me curou, assim como vai curar você tbm, não tenha dúvida. Marie, muita força, muita fé, Deus acima de tudo.

Leandro Pires

Adorei a matéria. Parabéns à Marie e que Deus continue abençoá-la e sustentá-la. Desistir jamais!

Leandro Pires

Adorei a matéria. Parabéns à Marie e que Deus continue abençoá-la e sustentá-la. Desistir jamais!

Maria Cecilia

Marie adorei sua matéria.A mais ou menos 2meses é meio atrás tirei as duas mamas.O nódulo malígno estava na mama direita .Ele tinha menos de um centímetro mas por precausão tirei as duas mamas por causa de heritáriedade.Estou curada é muito feliz com ajuda de Deus e Nossa Senhora,família e amigos.
* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado