'A Persistência da Memória', do pintor catalão Salvador Dalí, na versão de Pierre-Adrien Sollier | Imagens: Divulgação

'A Persistência da Memória', do pintor catalão Salvador Dalí, na versão de Pierre-Adrien Sollier | Imagens: Divulgação


Playmobil na obra de grandes mestres

O artista plástico francês Pierre-Adrien Sollier recria obras-primas clássicas usando os nostálgicos e icônicos bonecos como protagonistas 

O artista plástico francês Pierre-Adrien Sollier teve uma grande sacada: usar os nostálgicos brinquedos dos anos 70, os bonecos Playmobil, para revisitar obras-primas clássicas e contemporâneas de Leonardo da Vinci, Édouard Manet, Salvador Dalí, Basquiat, Diego Velázquez e Edward Hopper. O resultado, impressionante e bem-humorado, virou notícia em jornais, revistas e sites mundo afora.

Também pudera. Sollier reproduziu com perfeição as características das pinturas originais, conservando cores, luzes e sombras, substituindo os personagens originais pelos bonequinhos criados pelo alemão Hans Beck, em 1974, e dando ares artsy às obras. Em algumas, o francês adicionou o próprio autor no contexto da sua obra.

Assim, nas telas feitas em tinta acrílica, nasceram releituras de aclamadas obras como, Mona Lisa (também conhecida como Gioconda), e A Última Ceia,  do italiano Leonardo da Vinci; A Liberdade Guiando o Povo (em francês, La Liberté guidant le peuple), de Eugène Delacroix; A Balsa do Medusa, do pintor francês Théodore Géricault; Las Meninas, do espanhol Diego Velázquez, entre outras.

Pierre-Adrien Sollier é francês, formado na Central Saint Martins College of Arts and Design de Londres, trabalha como  ilustrador para publicidade e utilizava bonecos de Playmobil para “ter uma ideia global da ilustração” que iria fazer. 

O artista afirmou que quis fazer uma homenagem a todos os artistas apaixonados pela pintura, retratando o nosso tempo de uma forma irônica e pouco convencional. Como sempre achou "expressivo esse pequeno homem comum de plástico", Sollier chegou à brilhante ideia de recriar pinturas clássicas utilizando Playmobil.

Em entrevista ao jornal francês LeHuffPost, Sollier contou que muitas vezes tirava fotografias, antes de começar a desenhar. "É semelhante ao que a gente faz quando criança, quando usamos figuras de barro para trabalhar as luzes, sombras e proporções em perspectiva". Foi destes test-drives que nasceu a ideia de utilizar os bonecos de Playmobil no próprio produto final – o quadro.

Antes de reinterpretar as obras-primas, Sollier colocou os bonecos para retratar momentos e personagens atuais, como por exemplo, o kaiser da Chanel, Karl Lagerfeld e o rei do rock, Elvis Presley.  O  resultado interessante pode ser visto na galeria abaixo. 



‘As Meninas’, do pintor espanhol Diego Velásquez




'A Leiteira’, do pintor holandês Johannes Vermeer



‘Basquiat’, do pintor norte-americano Jean-Michel Basquiat




'A Última Ceia’, de Leonardo da Vinci




‘A Balsa da Medusa’, do pintor francês Théodore Géricault




'A Liberdade guia o Povo', do francês Èugene Delacroix




'Mona Lisa', do italiano Leonardo da Vince




‘Tarde de domingo na Ilha de Grande Jatte’, do pintor francês Georges-Pierre Seurat





'As Tentações de Santo Antão', do pintor holandês Hieronymus Bosch 



‘Nighthawks’, do pintor norte-americano Edward Hopper



‘Mademoiselle Caroline Rivière’, do pintor francês Jean-Auguste Dominique Ingres

Seja o primeiro a comentar

* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado