O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Goiás, Mauro Netto Faiad, inaugura o APL de Jaraguá, ao lado do superintendente de Ciência e Tecnologia - CETEMJ, Manoel Silvestre; do prefeito de Jaraguá, Ival Danilo Avelar; e da superintendente de Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Fomento a TI da SECTEC,

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Goiás, Mauro Netto Faiad, inaugura o APL de Jaraguá, ao lado do superintendente de Ciência e Tecnologia - CETEMJ, Manoel Silvestre; do prefeito de Jaraguá, Ival Danilo Avelar; e da superintendente de Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Fomento a TI da SECTEC, Aline Figlioli | Imagens: Michel Capel


Interior high-tech

Governo de Goiás investe em tecnologia de ponta para beneficiar polos confeccionistas, que agora contam com máquina de corte Audaces, a mesma utilizada por grandes marcas

Hoje, inovação é muito mais do que fazer as coisas de maneira diferente para obter um resultado mais eficiente. Inovação é uma necessidade vital para alavancar qualquer negócio, e isto é o que estão prestes a experimentar sete importantes polos confeccionistas de Goiás com a chegada de tecnologia de ponta que os levará a aumentar a produção e a registrar um salto de qualidade nunca antes alcançado.

Em poucos dias, modernas máquinas Audaces Neocut A20, que permitem um corte de alta qualidade e precisão em larga escala, sem o desperdício de tecido, entrarão em funcionamento em Catalão, Pontalina, Jaraguá, Itapuranga, Itaguaru e Taquaral. Goiânia também contará com a máquina, ainda no segundo semestre de 2014.

O equipamento, o mesmo utilizado por marcas famosas, foi adquirido recentemente pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia e Inovação (Sectec), que coordena um dos projetos mais arrojados e avançados do setor da economia pública, os Arranjos Produtivos Locais (APLs), que investiu até o momento cerca de R$ 9 milhões somente em equipamento.

Produzindo mais de cinco milhões de peças por mês, o setor se divide entre os segmentos de modinha, moda feminina, moda praia, lingerie, moda infantil e jeanswear. Com a versão mais atual do equipamento, o Audaces Neocut A20, ao qual as empresas terão acesso gratuitamente, os confeccionistas terão à disposição um sistema inteligente com opções de corte de 5 e 7 cm de tecidos compactados, pré-visualização do corte que diminui a possibilidade de erros e capacidade de cortar 21 mil peças básicas/dia. Dará ainda liberdade à confecção de trabalhar com encaixes complexos. Isto significa que, além de ganhar incrível agilidade, o setor será estimulado a investir em design, agregando valor ao seu produto.

O projeto, que tem como fundamento o uso da tecnologia para otimizar processos, fortalecer vocações econômicas e qualificar profissionais, irá beneficiar significativamente micro e pequenas empresas do setor  as mais vulneráveis da cadeia produtiva , instaladas nessas localidades, colocando Goiás na rota da interiorização de tecnologia de ponta. "Os APLs permitem o desenvolvimento econômico dos municípios e reduzem o deslocamento de trabalhadores para outras cidades em busca de empregos e de melhores oportunidades profissionais", afirma Mauro Faiad, secretário de Ciência e Tecnologia e Inovação.

Os laboratórios, como são chamadas as unidades físicas dotadas do equipamento, já se encontram em fase de treinamento de funcionários que irão operá-lo (todos contratados por processos seletivos) e, em poucos dias, haverá chamamento público para seleção e cadastro das empresas.

Nesses locais, as ilhas de corte contarão, além da Audaces, com enfestadeira, plotter e 30 máquinas de costura industriais de última geração, que serão usadas para a capacitação de mão de obra. Os cursos profissionalizantes, que já eram oferecidos pela Sectec sob coordenação de Soraia Paranhos, chefe de gabinete de Gestão de Educação Profissional, passaram a integrar, juntamente com os laboratórios, o Instituto Tecnológico de Goiás, situado em cada localidade ou região, e serão voltados para a sua respectiva vocação.

 Os APLs  têm contrapartida das prefeituras municipais, sindicatos e associações, e os investimentos em equipamentos e cursos são definidos junto com os representantes do setor, resultando em investimentos mais assertivos. "Estas parcerias locais são fundamentais para a realização do projeto", afirma Aline Figlioli, superintendente de Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Fomento à TI e responsável pela implantação dos APLs.

Em Goiás, os Arranjos Produtivos Locais – que estão beneficiando não só os polos confeccionistas como os setores de lácteos, TI, cachaça, cerâmica vermelha, banana, orgânicos, mel, fitoterápico e carne – estão a passos tão largos que se tornaram referências no País. O Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) apontou Goiás como um dos três mais organizados em APLs, ao lado do Ceará e Paraná.

A política de inovação conduzida pelo Governo de Goiás também chama a atenção de organismos internacionais. Em setembro, o tema entrou em debate na 14ª Conferência Internacional de Política Tecnológica e Inovação, que acontece em Brno, República Tcheca, na qual Aline representou Goiás. A conferência é promovida pela Masaryk University, e o resultado do trabalho realizado em Goiás será incluído nas publicações do evento.

Seja o primeiro a comentar

* Campos Obrigatórios. **Seu email não será divulgado